O que é xepa da vacina contra COVID-19? Como funciona? É confiável?

Passado mais de um ano da pandemia do coronavírus SARS-CoV-2, a ansiedade por retomar a vida normal é grande para a maioria das pessoas. Nesse caminho, a principal saída é controlar a transmissão da COVID-19, o que pode ser feito através da vacinação em massa. No entanto, as doses de imunizantes, no Brasil, ainda são limitadas e apenas alguns grupos prioritários ou pessoas com mais de 50 anos têm direito. Agora, se você é mais jovem, uma boa aposta é se inscrever na “xepa” da vacina.

A palavra xepa descreve o final da feira livre, onde são vendidos por um preço mais barato legumes e verduras que foram rejeitados pelos outros clientes. Nem sempre, ir para a feira, neste momento, pode ser uma situação agradável. Às vezes, o cheiro de peixe — nas feiras que contam com peixaria — já tomou conta do local, mas os preços ainda podem ser vantajosos.

Esqueça a parte ruim da xepa de uma feira e pense nas vantagens: se você pensa na vacina, iria querer se imunizar logo, certo? É basicamente isso que acontece na xepa da vacina contra a COVID-19. No final do dia, as doses remanescentes dos imunizantes são distribuídas para outros grupos que não são prioritários, como jovens com mais de 18 anos. No caso da cidade de São Paulo, são vacinados, oficialmente, apenas os grupos prioritários e as pessoas de 52 e 53 anos, sem comorbidades.

Caso haja um frasco de imunizante aberto —  sim, um frasco garante a aplicação de algumas doses, dependendo da vacina — e não apareça mais ninguém do público apto para se imunizar, os profissionais da saúde acionam as pessoas que demonstraram interesse para se vacinarem antes do calendário oficial.

A parte boa é que isso nada tem a ver com furar a fila e ainda evita o desperdício de imunizantes, já que esta dose seria descartada, caso não fosse usada. Pode haver xepa de todos os imunizantes em uso no Brasil até o momento: CoronaVac, Pfizer e AstraZeneca.

A imunização contra a COVID-19 segue a lógica do Sistema Único de Saúde (SUS), onde “estados e municípios têm autonomia para montar seu próprio esquema de vacinação e dar vazão à fila de acordo com as características de sua população, demandas específicas de cada região e doses disponibilizadas”, segundo o Programa Nacional de Imunização (PNI). Isso significa que é preciso verificar a forma exata como funciona em cada cidade, antes de se deslocar até o local de vacinação (e à fila da xepa). De forma geral, basta levar um documento e um comprovante de residência. 

Uma publicação compartilhada por Sec. Mun. da Saúde de SP (@saudeprefsp)

A partir desta sexta-feira (18), todas as pessoas com 18 anos de idade ou mais poderão receber doses remanescentes das vacinas contra a COVID-19 na capital paulista. Nesse caso, os interessados devem se inscrever na unidade básica de saúde (UBS) mais próxima da região em que se mora. É preciso levar um documento de identificação, um comprovante de residência e aguardar a fila. 

Para se inscrever na fila da UBS Nossa Senhora do Brasil, localizada no bairro Bela Vista, equipe do Canaltech levou 1h30 para fazer o cadastramento. Devido à demanda intensa pela lista, principalmente entre os mais jovens, profissionais do local contaram que ainda não é possível calcular o tamanho da fila. No entanto, a tendência é que a espera diminua conforme a campanha de imunização avançar.   

Agora, quando sobrarem doses, os profissionais de saúde irão ligar para os nomes da lista de inscritos, explicando que existe a possibilidade de vacinação e perguntando se a pessoa pode se deslocar para a UBS naquele momento. A partir de então, a pessoa tem um prazo de alguns minutos para comparecer ao local. Segundo apuração, são apenas 15 minutos de tolerância. Por isso, é importante o cadastro no posto mais próximo da residência.

Segundo estudo do Instituo Butantan, o Projeto S, é necessário imunizar pelo menos 75% da população de um local para reduzir a transmissão do coronavírus. Com essa porcentagem de imunizados com a CoronaVac, os pesquisadores do Butantan observaram que, na cidade de Serrana, no interior de São Paulo, o número de casos sintomáticos da COVID-19 caiu 80% e as internações foram reduzidas em cerca de 86%.

Entre outras coisas, isso significa que a vacinação é uma estratégia de proteção coletiva, ou seja, depende da adesão de uma parcela significativa da população. Nesse sentido, quanto mais cedo as cidades brasileiras chegarem a esse nível da população vacinada, mais rápido as atividades poderão ser retomadas, com menores riscos para a saúde das pessoas. Assim, a fila da xepa pode contribuir com o avanço da parcela imunizada e ainda evita o desperdício de doses.

Procure se informar em sua cidade sobre disponibilidade e cadastramento para a fila da xepa. Geralmente, as unidades de saúde da prefeitura sabem informar como é feito o procedimento.

Informações extraídas do site CanalTech
https://canaltech.com.br/saude/o-que-e-xepa-da-vacina-contra-covid-19-como-funciona-e-confiavel-187676/
Autor: Fidel Forato

Fidel Forato

Fidel Forato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *