Mais um absurdo: picada de vacina NÃO te torna detectável via Bluetooth e Wi-Fi

Entre as diversas notícias falsas absurdas que vêm circulando sobre a vacina da COVID-19, uma chamou a atenção por ser um tanto quanto fantasiosa. Começou a circular nas redes sociais um vídeo de um homem dizendo que pessoas que se vacinaram com a segunda dose do imunizante se tornaram detectáveis em redes Wi-Fi e Bluetooth.

No vídeo, a pessoa diz que “as pessoas que receberam a segunda picada estão se conectando à rede de Wi-Fi e reconhecendo Bluetooth”, e que “é algo para sair monitorando”. Ele ainda diz ainda que as pessoas aparecem nos dispositivos com códigos estranhos e que isso significaria que elas foram marcadas.

Tudo isso não passa, claro, de uma informação falsa. Em declaração ao jornal O Globo, José Camargo Costa, professor da Universidade de Brasília, doutor em microeletrônica e mestre em comunicações e telecomunicações, confirmou que a acusação do homem do vídeo não faz algum sentido. O especialista reforça que é impossível uma pessoa receber uma vacina e se tornar um dispositivo eletrônico.

“A comunicação via Bluetooth precisa de um equipamento porque nosso organismo não gera os sinais do Bluetooth nem os sinais de Wi-Fi, nenhum sinal desses de comunicação. Nós não somos geradores de sinais Bluetooth nem de Wi-Fi nem de nenhum sinal de rádio utilizado”, completa Costa, dizendo ainda que os dispositivos de comunicação sem fio funcionam com ondas de rádio, o que um ser humano não é capaz de produzir.

Esta, infelizmente, é apenas uma das inúmeras notícias falsas que circulam nas redes sociais e no WhatsApp sobre a vacinação contra a COVID-19. A propagação dessas acusações geram desinformação e prejudicam o andamento do programa de imunização da doença.

Fonte: O Globo

Informações extraídas do site CanalTech
https://canaltech.com.br/saude/mais-um-absurdo-picada-de-vacina-nao-te-torna-detectavel-via-bluetooth-e-wi-fi-187650/
Autor: Natalie Rosa

Natalie Rosa

Natalie Rosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *