Cancelamento de O Legado de Júpiter se torna polêmico na Netflix; veja por quê

Nos últimos anos, a Netflix vem apresentando uma tendência preocupante: o cancelamento inesperado e precoce de várias séries queridas por público e crítica. Recentemente, a plataforma confirmou o fim de O Legado de Júpiter após apenas uma temporada.

Mesmo após investir mais de 200 milhões de dólares na produção – que era divulgada como um dos lançamentos mais aguardados do ano – a Netflix decidiu dar cabo à história, não autorizando a produção de uma segunda temporada.

Desde o cancelamento de O Legado de Júpiter pela Netflix, fãs e especialistas tentam entender as motivações da plataforma.

O site TechRadar falou sobre o assunto; confira abaixo!

Antes do cancelamento de O Legado de Júpiter, a Netflix divulgou que cerca de 55 milhões de contas assistiram à série Sombra e Ossos.

A plataforma, por outro lado, não revelou o número de assinantes que assistiram a O Legado de Júpiter.

Uma firma que não tem ligação com a plataforma resolveu analisar as métricas de audiência da produção cancelada, comparando o interesse do público americano com o número de espectadores de Sombra e Ossos.

Os resultados da pesquisa indicam que O Legado de Júpiter fez sucesso em seus primeiros dias de lançamento, mas passou a perder audiência em poucas semanas.

Segundo a empresa ReelGood, que utiliza métricas de streaming e engajamento em suas análises, levando em conta cerca de 2 milhões assinantes americanos, O Legado de Júpiter começou bem, com uma pontuação de 3,4%.

No entanto, quatro semanas após o lançamento, a pontuação da série diminuiu para 1,3%.

Sombra e Ossos, por outro lado, começou com 2,7% mas cresceu com o passar dos dias, atingindo 3,8% na terceira semana, o que demonstra um bom engajamento da produção em redes sociais.

No final das contas, O Legado de Júpiter performou melhor que outra série cancelada pela Netflix: Os Irregulares de Baker Street. Mesmo assim, a plataforma decidiu não autorizar a produção de novos episódios.

Os dados apresentados pelo site ReelGood devem ser encarados com grande atenção às suas particularidades.

Como a análise levou em conta apenas espectadores americanos, o comportamento do público internacional acabou ficando de fora, e este é extremamente importante para a Netflix decidir se cancela ou renova uma produção.

O site também comparou a performance de O Legado de Júpiter com outras séries da Netflix. No Top 10 dos Estados Unidos, a série cancelada permaneceu no topo do ranking por 6 dias não-consecutivos.

Sombra e Ossos, por outro lado, liderou a lista em 12 dias. O hit O Gambito da Rainha permaneceu no topo por impressionantes 23 dias.

Segundo outra empresa de dados, a Nielsen, O Legado de Júpiter teve 696 milhões de minutos assistidos nos Estados Unidos em 9 de maio. A marca foi um resultado impressionante, já que a produção estreou em 7 de maio.

Mesmo que os dados citados não tenham sido produzidos pela própria Netflix, é interessante analisar as tendências que envolvem séries canceladas pela plataforma.

A conclusão é que uma estreia de peso é importante para a renovação de uma série na Netflix, mas que a manutenção de uma audiência sólida com o passar do tempo é ainda mais essencial para a criação de séries duradouras.

A primeira temporada de O Legado de Júpiter continua disponível na Netflix.

Informações extraídas do site Observatório do Cinema – UOL
https://observatoriodocinema.uol.com.br/series-e-tv/2021/06/cancelamento-de-o-legado-de-jupiter-se-torna-polemico-na-netflix-veja-por-que
Autor: Alexandre Guglielmelli

Alexandre Guglielmelli

Alexandre Guglielmelli

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *