A decisão de Cármen Lúcia: Uma afronta ao Exército e ao Superior Tribunal Militar?

A ministra Cármen Lúcia deu um prazo de 5 dias para que o Ministério da Defesa preste informações sobre o sigilo imposto pelo Exército Brasileiro no processo administrativo aberto contra o general Eduardo Pazuello.

A determinação da ministra atende a mais uma ação de partidos de esquerda, sempre dispostos a infernizar a vida do presidente da República e prejudicar o Governo Federal.

É uma decisão absurda, onde não se vislumbra qualquer amparo legal.

Faz parte do insano jogo da politicagem de uma turma que trabalha incansavelmente contra o país.

Ademais, o Exército Brasileiro não deve satisfação de seus atos ao Supremo Tribunal Federal.

As questões que envolvem os militares possuem como foro competente para julgamento o Superior Tribunal Militar.

Assim, impossibilitada de inquirir o Exército, a ministra dirigiu-se ao Ministério da Defesa, órgão do Poder Executivo.

Entretanto, é evidente que o ministério não tem as informações que a ministra deseja.

A via torta que Cármen Lúcia está tentando trilhar para chegar ao Exército é uma aberração.

E só contribui para alimentar a insegurança jurídica que vivenciamos presentemente.

Gonçalo Mendes Neto. Jornalista.

Em tempos de “censura“, precisamos da ajuda do nosso leitor.

Agora você pode assinar o Jornal da Cidade Online através de boleto bancário, cartão de crédito ou PIX.

Por apenas R$ 9,99 mensais, você não terá nenhuma publicidade durante a sua navegação e terá acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade.

É simples. É fácil. É rápido… Só depende de você! Faça agora a sua assinatura:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

Jornal Da Cidade

Jornal Da Cidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *